Fotografar um casamento é como ter uma tela em branco a sua frente.

É ter, em algumas horas, a vida se manifestando de diversas formas, com todas as suas cores, formas e nuances.

O desafio está em registrar isso tudo a partir da definição de vida que cada indivíduo tem, que cada sensibilidade interpreta.

E aquilo que sentimos não está visível. Como fotografar o que não é visível ao sensor da câmera?

Talvez resida aí a fé de um fotógrafo em conseguir transmitir aquilo que está além da nossa percepção mais rápida e provocar as mais diversas impressões no coração das pessoas.

///

Julie + Henrique

deixar um

Comentário